O Santa Clara é uma escola que teve o lançamento da pedra fundamental no dia 15 de agosto de 1913. Seu nome atribui-se a Madre Maria Imaculada de Jesus Tombrok, nascida na cidade de Ahlen, Alemanha.

Madre Maria Imaculada, antes de fundar a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição, ingressou na Ordem Terceira de São Francisco que foi muito importante para a sua vida espiritual.

Após a sua cura no dia 15 de agosto de 1909, sentiu-se chamada por Deus para viver no convento como religiosa consagrada. Conversou com um sacerdote o seu desejo para ter certeza do ideal. Ele a orientou que procurasse as Clarissas de Müenster na Alemanha, porém o mosteiro não dispunha de vagas, seguindo assim para outro mosteiro. Enquanto ela aguardava a oportunidade de ingressar nas Clarissas chega o Bispo Prelado Dom Amando Bahlmann de Santarém – Pará/Brasil para pedir conselhos às Irmãs em relação a nova Congregação que ele pretendia fundar.

Depois da entrevista com Dom Amando, a Madre Abadessa falou a respeito da jovem Elisabeth Tombrok que fora curada em Lourdes na França.

A pedido de Dom Amando, iniciou sua vida religiosa no convento das Clarissas como postulante, sendo orientada por Madre Antonia até a sua vinda para o Brasil.

Sua chegada em Santarém se deu no dia 13 de novembro de 1910 com a iniciação da 1ª Casa da Congregação com o nome de “Instituto Santa Clara”

Esses fatos vivenciados e realizados de maneira bem concretos na vida da fundadora Madre Imaculada comprovam o nome dado ao Colégio Santa Clara.

Tanto ao seu ingresso na Ordem Terceira de São Francisco, a sua preparação na Ordem das Clarissas e a fundação da Congregação aprofundaram a espiritualidade franciscana que tem como colunas mestras as duas personagens: São Francisco e Santa Clara.

Atualmente a Igreja Festeja Santa Clara no dia 11 de agosto e também o nosso querido Colégio composto da comunidade educativa, dos pais e das irmãs iluminadas pelo carisma.

Com Santa Clara digamos: “Não perca de vista o seu ponto de partida”.

 

* Por: Ir. Maria Olinda de Oliveira Rodrigues

Tags:

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *